Bendito Expedito

| | |

Por Murilo Antunes

Carlos Drummond nos ensina que a literatura se faz à margem do tempo ou contra ele. No entanto, ouso relatar um fato de agora.
Belo Horizonte, rua Pium-hi, entre Minas Novas e Contorno: o endereço é esse, um bar chamado “Roast Beef”, onde a especiaria é joelho de porco.
Pois bem. Enquanto alguns preferem a ousadia exemplar de um drama, vou tentar narrar um fato alegre, que me emocionou, acontecido nesse lugar.

Saborendo uma cerva e sorvendo a vida, a noite pacata ia me mandando embora, quando surge à frente da mesa um sujeito franzino chamado Expedito. Nem tão alto nem baixinho, esguio. O que importa é o espanto que roubou daquele momento ao apresentar o som que vinha das mãos daquele sujeito. Franzino e esguio, mas imenso, ocupou todos os poros e as nuvens da percepção com seu cavaquinho tocando brasileirinho. Caiu um pedacinho do céu em pleno bairro Cruzeiro. Um chorinho chamado Odeon, Jacó do Bandolim, ai de mim. Ocupando os vazios da melodia, Expedito brincava com seus dedos serelepes como se a vida fosse apenas quatro cordas e estivesse em suas mãos, como se a vida fosse apenas poesia. E era.

Aquele sorriso espontâneo abria risos na alma, em mim e em volta daquele chorinho. Pessoas assim, feito Expedito, surgem para nos fazer crer na força humana dos nossos corações. Imagine você que ele saiu lá do Vale do Jatobá, zona norte da capital de Minas, tocando à cata de um trocado, como faz quase todas as noites, como sempre faz para salvar o feijão de cada dia. Pelo que pude sentir, Expedito nunca esquece o sorriso, mesmo que ganhe pouco, mesmo que alguém finja que não ouviu suas maravilhas dedilhadas ao cavaquinho.

Este registro é apenas para que não passe despercebida a sensação de ter ouvido a paixão de um brasileiro pela música, paixão que deveria nos acompanhar feito o ar que respiramos. Bendito Expedito! Um homem comum, sem nada além do que a riqueza da sua arte.

Fale na Esquina

Fale na Esquina

Deixe uma mensagem

Uma mensagem para Bendito Expedito

  1. Maycon disse:

    Tive o prazer de ouvi-lo no Boi de Lourdes outro dia. Impecável, um talento e simplicidade de mestre. Espero que seja reconhecido.